terça-feira, 31 de maio de 2011

GOVERNADOR DO RIO QUER SAIR DO FOCO.

A Secretaria Estadual de Educação arrumou uma fórmula para desviar a atenção sobre seu desinteresse e sua incapacidade de resolver as questões relativas às pessimas condições em que se encontra a Educação Pública Aliás , ela usa o mesmo artifício da Secretaria Municipal , ou seja , colocar a CULPA NOS PROFESSORES E DIRETORES DE ESCOLA. Essa estratégia é velha e não cola mais. A população não cai mais nesse engodo. Em lugar de enfrentar os problemas como falta de estrutura , carência de professores na Rede (faltam 10 mil ) , salas de aula caindo aos pedaços , excesso de alunos por turma , carência de pessoal de apoio e ausência de uma política salarial decente , resolve criar uma reciclagem VIRTUAL.


Os professores receberão uma "esmola" , isto é , uma ajuda ( ? ) análoga à " bolsa família" para participar de um treinamento à distância , ou seja , pela Internet. O tal curso terá duração de 180 horas.Assim , os professores de Matemática vão aprender Matemática ; os de Português, vão aprender Protuguês; os de História, História e por aí ,vai.Com o salário que o PROFESSOR ganha , é obrigado a trabalhar em duas ou três escolas.Por vezes, leciona pela manhã , à tarde e à noite. Até o sábado é sacrificado.Chega a ter mais de 12 turmas. Tem que corrigir testes e provas e preparar aulas aos domingos. Isso tudo , para SOBREVIVER. Em que momento , o docente poderá se dedicar a esse curso , ainda que virtualmente?

Não seria mais lógico dar um salário digno ao Professor para que ele não tivesse que lecionar em tantas tumas e em tanats horas , a fim de que pudesse , por sua iniciativa,se reciclar ? É claro que o Governador e o Secretário sabem disso , mas é muito mais cômodo e barato conferir essa esmola e mostar ao público que estão" preocupados" em melhorar a qualidade de Ensino no Estado. ATÉ QUANDO A SOCIEDADE VAI FICAR CALADA DIANTE DESSES DESATINOS ?

segunda-feira, 30 de maio de 2011

ESSAS ATITUDES IMPEDEM QUE ACABEM COM A ESCOLA PÚBLICA NO RIO.

Que esses professores sirvam de exemplo e que a omissão não nos faça calar mais uma vez.


Profissionais rejeitam voluntários em escola municipal do Rio e enviam documento para 3ª CRE


Os profissionais da Escola Municipal Ordem e Progresso se mobilizaram para discutir a questão do trabalho voluntário nas unidades municipais, política que integra o pacote educacional implementado pela secretária
de Educação Cláudia Costin e pelo prefeito Eduardo Paes com objetivos de abrir as portas das escolas para ONGs e Organizações Sociais de caráter privado. Depois do debate, a categoria redigiu um documento recusando a entrada de voluntários na escola, encaimhado para a 3ª CRE e para a SME.

O Sepe publica abaixo o teor do documento enviado para a CRE para que as outras escolas da rede municipal possam ter acesso a estas importantes questões levantadas pelos profission ais da EM Ordem e Progresso e promovam as suas próprias discussões e documentos que possam contribuir para este debate.

Rio de Janeiro, 16 de março de 2011.

A Sr ª Chefe da 3ª Coordenadoria de Educação Maria do Amparo Miranda Reis.

Nós, professores regentes da Escola Municipal Ordem e Progresso, apresentamos publicamente esse documento com o objetivo de reafirmar a nossa posição político pedagógica de não aceitar, em nenhuma hipótese, a realização de trabalho voluntário para atividades de reforço escolar em nossa escola. Temos a firme convicção de que esta é uma atividade pedagógica, portanto uma atividade docente e que deve, obrigatoriamente, ser realizada por profissionais devidamente qualificados para o exercício da função.

Ressaltamos que, em nossa opinião, a execução de tarefas docentes por pessoas não habilitadas constitui-se em clara e v idência do exercício ilegal da profissão do magistério.

Apesar de as práticas de incentivo ao trabalho voluntário em atividades educacionais serem implementadas enquanto política pública desse município, avaliamos que temos o direito democrático e o dever de questioná-las nos seus aspectos legais e éticos.

Consideramos que essa proposta constituí-se em um exemplo da desresponsabilização do Poder Executivo Municipal com a Educação Pública, que visa a redução do financiamento educacional público, com o qual não podemos concordar.

Trata-se, portanto, de uma proposta que além de não resolver os problemas fundamentais da rede municipal, que são: salas de aula superlotadas, ausência de tempo adequado para planejamento e reflexão
das práticas pedagógicas, baixo salários dos profissionais, estrutura precária de nossas escolas e falta de pessoal, ainda promove de f orma desrespeitosa e irresponsável a desqualificação da carreira docente.

É evidente que, enquanto professores comprometidos com os interesses dessa comunidade, almejamos a qualidade na educação, mas entendemos que o exercício eficiente de nossa função depende da implantação de medidas efetivas voltadas para uma educação pública de qualidade.

Lembramos ainda o compromisso assumido pela Sr ª Secretária de Educação Claudia Costin, em audiência com o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação ? SEPE, que o trabalho de voluntários e estagiários na rede seria uma opção da escola e professores e não uma imposição da Secretaria Municipal de Educação. Entendemos que qualquer tentativa de imposição nesse sentido seria uma medida arbitrária e estamos dispostos a questionar os seus aspectos políticos e legais, já que em nossa opinião, essa ação viola direitos constitucionais e também princípios da legislação educacional.

É importante ressaltar alguns princípios da legislação brasileira educacional que estabelecem para o exercício da atividade docente a presença de sólida formação básica que propicie o conhecimento
científico e também a associação entre teoria e prática, sem os quais não acreditamos ser possível o desenvolvimento pleno de nossos alunos. Afinal, o processo de letramento não se resume a decodificação de códigos lingüísticos.

Consideramos ainda curioso o fato de a nossa escola ter sido escolhida para o desenvolvimento de tal projeto, já que a mesma é reconhecida por realizar um trabalho de qualidade onde o rendimento dos nossos alunos está acima das metas educacionais nacionais para os próximos anos. Embora discordemos do projeto, estamos certos de que são imensas as necessidades desta região.

So bre o problema da desqualificação profissional, alertamos para o perigo de deixar crianças aos cuidados de pessoas despreparadas. Nesse sentido é bom lembrar o caso da Escola Municipal Roma onde um engenheiro esmagou o dedo da aluna na porta, por perder o controle emocional, quando a mesma pediu para ir ao banheiro na hora da aula. Esse não foi um caso isolado. Infelizmente não podemos responsabilizá-lo, pois o mesmo não tinha qualificação para exercer tal atividade. Responsabilidade que cabe ao poder público. Em nossa escola vivenciamos a constrangedora experiência de ver uma voluntária empurrar uma criança. Felizmente a professora da turma agiu rapidamente. Por isso achamos importante abrir a discussão com nossa comunidade.

Não acreditamos que a solicitação de um documento assinado pelos professores desta escola, por parte da chefia da 3ª CRE, seja uma tentativa de inti mida ção e retaliação aos profissionais. Tal atitude seria incompatível com o estado democrático de direito que preza e valoriza a diversidade. Isso certamente ofenderia os profissionais desta escola que exercem o seu livre direito à contestação e à reflexão crítica sobre as políticas educacionais vigentes.

 Afirmando o nosso compromisso com uma Educação Pública de qualidade que atenda aos interesses da população.
Atenciosamente,
assinamos o documento.
Profissionais da Escola Municipal Ordem e Progresso

INAUGURAÇÃO PRECIPITADA.

Há cerca de um mês , o Prefeito da Cidade do Rio inaugurou o viaduto Orlando Raso , no cruzamento das avenidas das Américas e Salvador Allende, na Barra da Tijuca , em meio a uma grande festa , na qual o próprio chegou a andar de skate para testar o asfalto . E foi aberto ao trânsito. Ocorre que , cerca de quase um mês depois da solenidade, o viaduto ainda não conta com rede de drenagem completa. Nesse final de semana , operários trabalharam no arremate das canaletas de captação de água de chuva.


Em razão das operações para tentar concluir uma obra que já foi inaugurada como pronta e para abrir espaço à circulação de maquinário e operários , uma faixa foi interditada , causando engarrafamento na Região. Especialistas em transportes criticaram a inauguração antes da finalização da rede de drenagem , pois o viaduto já apresenta alguns pontos de erosão e será necessário reforçar a rede e dar proteção extra ao gramado já plantado para não comprometer o resultado.

Um ex-presidente do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) salientou que "A boa técnica exige que se entregue a obra pronta, principalmente em se tratando da solução de engenharia escolhida , que é fazer as rampas do viaduto por terraplanagem. Quando se usa talude (plano inclinado que limita um aterro ) , a drenagem tem que estar em dia, caso contrário a água da chuva leva a terra embora". O viaduto é fundamental ao trânsito do local , mas a precipitação na inauguração poderia ser evitada.







domingo, 29 de maio de 2011

VEJA COMO NÓS SOMOS BOBOS.

Desde o primeiro dia do ano em curso até hoje (29 de maio de 2011), nós, brasileiros, trabalhamos 149 dias apenas para pagar tributos (impostos , taxas e contribuições) cobrados pelos governos federal, estadual e municipal. Estamos levando em conta, aqui, toda a tributação incidente sobre os rendimentos, como salários e honorários, em que se destacam o Imposto de Renda, o INSS e as contribuições sindicais.


No cálculo correspondente aos tributos que comem a renda dos cidadãos, o estudo feito pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), intitulado "Os dias trabalhados para pagar tributos - 2011", contabiliza, ainda, impostos embutidos nos preços de produtos e serviços, como o PIS, o ICMS o IPI, a tributação de patrimônio (IPTU, IPVA, ITBI e outros ), além de taxas como limpeza pública, coleta de lixo, emissão de documentos, de incêndio e de iluminação pública.

Em 2003, o brasileiro destinou 36,98% do seu rendimento bruto para pagar tributos. Em 2006, foram 39,72 %; em 2007, foram 40,00% e em 2011, chegou a 40,82 %. Uma comparação, em dias de trabalho por ano, para pagar tributos em alguns países , mostra a posição brasileira: SUÉCIA - 185 dias/ano; Brasil - 149/ano; França - 149/ano; Espanha - 137/ano; Estados Unidos -102/ano; Argentina - 97/ano; China -92/ano ; México - 91 dias/ano.

A comparação, entretanto, perde o seu valor, porque, no Brasil, diferentemente do que ocorre nos outros países citados, a qualidade dos serviços públicos não acompanha o progressivo aumento da carga tributária. Vejam os casos da Saúde pública, da educação deficiente, da falta de segurança pública e de saneamento básico, da habitação e de outras faces da infraestrutura, como energia, rodovias, ferrovias, aeroportos. Para onde vai tanto dinheiro arrecadado ? Nos outros países, não há o inchaço da máquina pública como aqui; não há corrupção nos patamares vistos aqui; não há a concentração de renda como aqui; não há superfaturamentos e falta de fiscalização e controle como aqui.

E ainda querem voltar com a maldita CPMF...

sábado, 28 de maio de 2011

LEIAM OS ABSURDOS DA PREFEITURA DO RIO.

EDUCAÇÃO: PREFEITURA DO RIO INVENTA UM IDEB PRÓPRIO E MANIPULA!


1- No início de 2009, a nova gestão da educação municipal aplicou uma prova de surpresa, trazida de SP, e completamente descontextualizada nos termos e nos fatos, do dia a dia carioca. O túmulo de Paulo Freire tremeu. A fiscalização externa teve caráter policial, inibindo professores e alunos. Foram apresentados para a imprensa números distorcidos como resultado.

2. Logo depois, se iniciou um processo de "treinamento" para preparar os alunos, não para conhecer, mas para responder provas. Os testes feitos em 2009 e 2010 mostraram que esse jeitinho não estava dando certo. O número de repetências artificiais foi de tal ordem, que a prefeitura retomou o arcaico sistema de "segunda época" para tentar corrigir o elitismo aplicado. Pior a emenda que o soneto.

3. Finalmente, agora em 2011, foi distribuída antecipadamente questões, de forma a que se pudesse "treinar" as turmas para responder e aumentar as notas das provas a serem aplicadas. Mesmo assim não deu certo. Se há um consenso na área de educação no mundo todo, é que as provas são apenas um dos elementos de avaliação de capacidade de aprender e do aprendizado.

4. Mas para conseguir espaços na imprensa e aplausos de alguns desinformados, foi destacado o resultado de uma ou de outra escola, especialmente em áreas mais pobres. Por exemplo: um Ciep localizado no bairro de Santa Cruz, assim como outras escolas, não tiveram todos os seus alunos testados. Naquele caso -e em outros- os melhores 60% dos alunos é que foram submetidos à prova.

5. Nestes meses, as escolas têm recebido diversas questões que devem ser trabalhadas em sala de aula como exercício e que depois fazem parte das provas. Só muda o número. De tudo isso, estabelece-se uma falsa dinâmica com fins publicitários, legitimam-se pacotes de empresas, institutos e fundações, pasteurizados que, somados, já se aproximam de 1 bilhão de reais e deixa-se claro que o que move este método é a destruição da escola pública e a privatização do ensino público de maior tradição no Brasil.

6- Até poucos anos, os governos municipais do Rio de Janeiro tinham uma política pautada na Multieducação que desencorajava a cobrança dos professores sobre os alunos, praticamente colocando no ostracismo pedagógico aquele profissional que realizasse testes e provas com seus alunos, como se o mesmo fosse um verdadeiro “dinossauro da educação”, por insistir em implementar na sua avaliação algo considerado “ultrapassado”.

7- Hoje, ao contrário daquela época não tão distante no tempo, vemos uma política educacional diferente na Secretaria Municipal de Educação, em que temos uma verdadeira “indústria da prova”, com “avaliações diagnósticas”, “provas bimestrais da Prefeitura”, “provões”, “Prova Rio”, “Prova Brasil”, prova de tudo que é jeito e para todos os gostos, mas nem por isso menos nociva no seu conteúdo para os alunos e docentes da rede municipal do Rio de Janeiro.

8- O que continua, entretanto, é a mesma intenção da SME e da Prefeitura de tratar os alunos e os profissionais de educação como “cobaias” de seus projetos –“experimentos” – pedagógicos. São políticas decididas de cima para baixo, sem a devida participação e autonomia do fazer pedagógico dos profissionais nas suas respectivas unidades escolares, respeitando a realidade da sua comunidade escolar.

9- Como parte desses “experimentos” pedagógicos, temos as provas acima citadas. A quem interessa a realização dessas provas? Com certeza não aos alunos e seus responsáveis, que não foram consultados, e nem aos docentes que estão cada vez mais assoberbados de trabalho desgastante, de aplicação e de correção de provas não por eles organizadas e idealizadas. Provas que ferem a autonomia do fazer pedagógico do professor, que conhece melhor do que ninguém a realidade do aluno com quem convive diariamente na sala de aula.

10- Provas que mobilizam toda uma escola, retirando preciosos dias de aula em que os nossos alunos poderiam estar tomando contato com conteúdos curriculares importantes, que devem ser corrigidas por profissionais que as aplicaram mesmo que pertençam a outras disciplinas e que, portanto, não tenham um conhecimento específico para tal tarefa. Isso é brincar de fazer educação!!!

11- Mas tudo isto faz parte de um projeto maior que a SME vem implementando no município do Rio de Janeiro: o aporte de verbas públicas para projetos em parceria com entidades e fundações privadas, em suma, a privatização do ensino público. O que temos visto é a destinação de dinheiro público em cadernos de disciplinas que fogem muitas das vezes dos currículos dos anos ensino fundamental que são ensinados em sala de aula, material pedagógico elaborado por essas entidades, etc.

7. Esta verba da educação municipal deveria estar sendo usada na melhora da infraestrutura física e material das escolas, na contratação de mais funcionários – cuja carência sabemos ser imensa e que o caso trágico de Realengo tornou claro –, e na valorização salarial urgente dos profissionais de educação, que têm que se dedicar a uma jornada de trabalho estafante para poder sobreviver.

12- Concluindo, afirmamos que isto não pode ser sério enquanto proposta de política para a educação de uma cidade tão importante quanto a do Rio de Janeiro e que não aceitamos ser meros executores de um trabalho alienado, desgastante e não remunerado e que foge de todos os preceitos daquilo que se chama autonomia pedagógica, consagrada na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

13-Tendo em vista tudo o que está exposto nos parágrafos anteriores, nós profissionais de educação ratificamos nossa total discordância quanto à política de avaliações proposta pela SME e decidimos não participar do processo de correção das mesmas. Rio de Janeiro, 24 de abril de 2011.
Célio Lupparelli
Fonte; Ex-blog César Maia

MINISTÉRIO PÚBLICO INVESTIGARÁ CICLOVIA DE R$ 20 MILHÕES.

É claro que em tempos de efeito estufa e de aquecimento global , afetando o Ecossistema e a nossa qualidade de vida , todas as iniciativas para reduzir o lançamento de gases na atmosfera como o CO2 são elogiáveis. Estimular o uso de bicicleta e , obviamente , construir ciclovias são iniciativas pertinentes ao Poder Público. A Natureza agredece e nós todos somos os beneficiados com isso. O número de automóveis , caminhões , motos e outros veículos poluentes já ultrapassou os limites suportáveis.


Apesar disso , há meses , estamos observando , com apreensão , uma proliferação de ciclovias pela Cidade e notamos que muitas delas estão mal colocadas. Há casos em que , além de não se prestarem ao objetivo principal que é estimular o uso efetivo de bicicletas, os ciclistas e os donos de imóveis por onde elas passam terão aborrecimentos que desembocarão em conflitos e acidentes até fatais. Aqui na Praça Seca , por exemplo, na Rua Luiz Beltrão, há trechos completamente inaceitáveis para essa prática. Parece que não houve critério para seleção dos lugares ideais. Calçadas ficaram estreitas ; os pedestres não terão liberdade nas calçadas ; os cadeirantes e as mães que circulam com carrinhos de bebê ficarão apavorados ; os motoristas , ao saírem de suas garagens com seu automóveis , terão que prestar muita atenção , pois não há visibilidade para percepção de aproximação de ciclistas nem sinalização sonora para que os ciclistas saibam que carros sairão de suas garagens..

Se não bastassem esses problemas , o Ministério Público vai investigar os gatos de R $ 20 milhões na construção da ciclovia inaugurada pelo Prefeito no domingo- 22/7- que está cheia de problemas. Bastou uma chuva para que erros técnicos viessem à tona. A Ciclovia milionária teve obra com preço de rodovia e vai ser alvo do MP e pode gerar CPI na Câmara dos Vereadores. Os seus 22 km entre Campo Grande e Santa Cruz já apresentam problemas como obstáculos e rachaduras na pista , apesar de cada quilômetro ter custado mais que o de uma estrada , segundo os técnicos.Há indícios de superfaturamento. O Tribunal de Contas do Município também acolheu representação especial para uma inspeção na mesma.

O Engenheiro assessor da presidência do Crea-RJ constatou que a ciclovia passa a centímetros da porta de casas e lojas. Ele classificou de " quebra-galho" o que viu e afirmou que o dinheiro foi mal empregado. Segundo técnicos que vistoriaram a ciclovia, além de problemas de postes e orelhões no meio da pista e rachaduras , há formação de poças d'água . Há,também, fendas cortando a pista de uma margem à outra. Há trechos tão estreitos na pista que uma bicicleta mal consegue ultrapassar a outra. Se o ciclista perder o equilíbrio, cairá na rua. Na Rua Telles , no Campinho , há um trecho destinado à ciclovia que , além de reduzir a rua , prejudicando motoristas , está em lugar mal iluminado e de grande risco para a segurança. Com certeza , não houve critérios para a implantação desse sistema tão necessário em alguns lugares da Cidade.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

UPAs viram um problema no Rio.

Anunciadas como solução, UPAs estão virando um problema



Unidades registram queda em atendimentos e superlotação


Concebidas como solução para as longas filas dos hospitais públicos, as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) vivem hoje uma situação muito semelhante àquela que tentavam evitar. Em algumas unidades, o tempo médio que os pacientes aguardam para serem atendidos chegam a cinco horas.

Outro problema é que o número de pessoas atendidas vem diminuindo em algumas unidades. Em Belford Roxo (Baixada Fluminense), por exemplo, a média de atendimentos diários caiu de 297 em 2008 para 76 em 2010, uma redução de 74%, dados da Secretaria Estadual de Saúde.

– As UPAs são um dos maiores factóides políticos dos últimos tempos, uma máquina de ganhar votos – avaliou uma integrante da Comissão de Saúde da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). – A UPA não é mais uma porta de entrada para um sistema, é uma barreira entre o paciente e os hospitais.

Nós já falávamos isso há muito tempo. Quem ganhou dinheiro com isso ? Por que não priorizaram os Hospitais e os Postos de Saúde já existentes ? Por que não discutiram essa questão com os profissionais de Saúde ? Vai ocorrer o mesmo com as tais Clínicas da família. É só esperar...

SERÁ QUE O GOVERNO DILMA ACABOU EM MENOS DE 6 MESES ?

Em menos de 6 meses do atual Governo Federal , há 7 perguntas no ar que , uma vez respondidas por quem de direito, explicariam as razões pelas quais "DERRUBARAM DILMA". A Presidente perdeu o Comando do País. Ocorreu o mesmo com JÂNIO QUADROS e com FERNANDO COLLOR. Um renunciou e o outro foi cassado. Qual será o destino de Dilma ? No caso de JÂNIO , segundo ele, foram as "FORÇAS OCULTAS" ; com COLLOR , foi a OPOSIÇÃO. O curioso é que , com DILMA , são os seus supostos parceiros : LULA , PT e os partidos aliados.


1-Por que LULA está tão desesperado em defender Palocci na questão do enriquecimento rápido e estranho do Ministro ? Será que Palocci , uma vez denunciado , poderia abrir a boca e dizer tudo o que sabe sobre os governos do ex-presidente ?

2- Por que o PT reintegrou Delúbio à vida pública depois do escândalo do Mensalão ? Será que Delúbio ameaçou abrir a boca , se não fosse reconduzido ao PT ?

3-Por que Lula "voltou ao Governo " para dar puxões de orelha em Senadores e Ministros que estão sendo rebeldes no apoio a Palocci , tomando as rédias do Governo , comandando líderes e dando pito em ministros , além de dar ordens a Dilma e Palocci , na casa de José Sarney, numa espécie de intervenção branca ? Seria falta de comando de Dilma ? Por que ela perderia esse Comando , já que sua história de vida não é de fraqueza ? Esse mesmo desespero de Lula não foi o que se viu na campanha de 2010 ? O que está por trás disso tudo ?

4-Será que a CPI sobre Palocci e seu rápido e escandaloso enriquecimento poria todos os "podres" do governo Lula à vista da população que foi por ele enganada?

5-Por que, diante da ameaça da bancada de religiosos de convocar Palocci ao Congresso , Dilma recuou e mandou suspender o KIT contra a homofobia ? Quais seriam os estragos que os religiosos poderiam provocar , se não fossem atendidos ? Não foi uma espécie de chantagem em que Dilma teve que cair debilmente?

6-Por que Dilma perdeu o comando do País para Lula e ficou refém dos piores políticos do Brasil , além de levar uma derrota na votação do Código Florestal , a ponto de Aldo Rebelo dizer que ela não sabe de nada ? E , o pior, por que voltou a Inflação ?

7-Por que essa gente macabra e fúnebre exposta na foto abaixo não desaparece da vida pública brasileira , libertando nosso Povo do atraso político das oligarquias que dominam o País há séculos e que eles tão bem representam?

quinta-feira, 26 de maio de 2011

MAIS UM GRITO PELA EDUCAÇÃO .

Quando tomamos conhecimento de que o Ministério da Educação adotou , nas escolas públicas , um livro que coloca , em segundo plano , a linguagem culta , percebemos que algo de podre estava por trás disso. O "SISTEMA " deseja que os menos favorecidos , em razão da política implementada no Brasil há séculos, se perpetuem na "marginalidade cultural". Quanto menos instruidos , menos reclamam ; ficam obedientes e a BANDA PODRE SE DIVERTE e ENRIQUECE.


É sabido que se deve respeitar a linguagem regional e as diferenças , mas não se pode abdicar dos conhecimentos que possibilitam a inserção nas camadas superiores do ponto de vista social , cultural e da instrumentalização do que é cobrado nos concursos e nas universidades do País. Na prova do ENEM ( Exame Nacional do Ensino Médio ) , por exemplo , não serão aceitas coisas do tipo " NÓS VAI " , " A GENTE FUMOS " , "OS OMI E AS MULÉS É JENTE BOA " e por aí vai. E o tal Exame é promovido pelo Ministério da Educação. Talvez essas expressões sirvam para a comunicação entre pessoas dos grupos afins ou para programas humorísticos como a "ESCOLINHA DO PROFESSOR RAIMUNDO" , mas , certamente , em uma redação ou em uma entrevista para seleção de candidatos a empregos não serão permitididas.

Além da criminosa intenção de "condenar" os alunos das escolas públicas a ficar no patamar social em que se encontram , a medida serve para justificar os fracassos na Política Educacional desenvolvida pelas autoridades . Um fato bem ilustrativo é a carência de professores na Rede Pública. Há falta de 10 mil docentes só no Rio de Janeiro. As denúncias da Professora Amanda Gurgel veiculadas no Youtube , nos jornais e na TV não mostraram nada de novo , a não ser a corajosa ação da ilustre colega. Foi um grito de revolta que ecoou pelo Brasil. A brava nordestina vocalizou o que todos os profissionais de Educação gostariam de falar. Pelo quadro que ela detalhou , justifica-se a evasão de professores da Rede Pública e a baixa quantidade de alunos que procuram carreira do Magistério nas Universidades.

Outra questão é que Professor não tem que receber essas réplicas do BOLSA FAMÍLIA como a que o Governo do Estado do Rio quer fornecer. O chamado Auxílio Qualificação seria dispensável se a remuneração dos professores fosse capaz de suprir as suas necessidades , as de seus familiares e ainda ter condições de se reciclar sem precisar de "ESMOLA EM CARTÂO". ISSO É UMA VERGONHA !

Outro ponto nevrálgico saiu na Imprensa . Em Campo Grande , há 9 meses , portanto desde 2010 , os alunos da turma 1201 do Instituto Sarah Kubitschek não têm aulas de Português (sem falar em Química).Por isso , devemos aceitar "NOIS PEGA OS PEIXE" ? Essa é a saída para o problema ? Na Escola Estadual Antonieta Bandeira, desde o início do ano letivo não há prodeffores de Sociologia, Filosofia , Matemática , Biologia e História.Em muitas unidades , alunos não têm Português e Matemática. Em outras , as provas de Matemática são feitas em casa. É ISSO MESMO : AS PROVAS SÃO FEITAS EM CASA. Há necessidade de um GRITO PELA EDUCAÇÃO NO BRASIL.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

LEI MUDA CRITÉRIO DE PRISÕES.


Acusados de crimes com pena de até quatro anos de reclusão não irão mais para a cadeia.Ninguém mais será preso por cometer crimes com pena de até quatro anos, como formação de quadrilha e furto. Os novos critérios impostos para as prisões temporárias e preventivas fazem parte da Lei 12.403/11, sancionada pela presidenta Dilma Roussef, que entra em vigor no dia 5 de julho. O texto divide a opinião de juristas.Para alguns especialistas em direito criminal, as novas regras impedirão a prisão de muitos criminosos e podem gerar a sensação de impunidade. Outros acreditam que, além de desafogar as cadeias, a lei é equilibrada, pois prevê outras sanções, além da detenção.

Antes de se pensar em reduzir a população prisional , em virtude da superlotação nos presídios, o Governo deveria rever sua política no que tange aos presídios no Brasil.A pena de prisão deveria ter uma função inibidora para os que não cometeram crime e reeducadora para os infratores. Ao contrário, o que constatamos é um descaso com o sistema prisional , que se tornou um depósito de delinquentes sem a menor oportunidade de se ressocializar, tornando-se ,muitas vezes mais agressivos à Sociedade que nada faz para sua reintegração. A Lei em questão pode servir de estímulo para os crimes por ela alcançados, não resolvendo a grave crise nos presídios brasileiros.

ESTADO DO RIO JÁ REGISTRA MAIS DE 100 MIL CASOS DE DENGUE.

O número de casos notificados de dengue no Estado do Rio chegou a 107.227. De 2 de janeiro até 21 de maio, segundo relatório semanal da Secretaria Estadual de Saúde, foram confirmados 80 óbitos, dez a mais do que o levantamento realizado na semana passada. Na capital, foram registradas 30 mortes em consequência da dengue.

A Superintendência de Vigilância Ambiental e Epidemiológica informou, no entanto, que vem diminuindo o número de casos notificados durante o mês de maio, e que o aumento no total de registros, em relação aos balanços das semanas anteriores, é resultado do atraso no lançamento das notificações dos meses de março e abril, no sistema de informações. Em janeiro, foram notificados 5.658 casos; em fevereiro, 17.359; em março, 31.296; em abril, 41.682; e em maio, 11.232.

Os municípios que confirmaram óbitos são: Nova Iguaçu (7), Duque de Caxias (6), Magé (2), Cabo Frio (1), São Gonçalo (8), Maricá (1), Mesquita (2), São João do Meriti (4), São José do Vale do Rio Preto (1), Bom Jesus de Itabapoana (1), Itaocara (2), Itaperuna (1), Rio das Ostras (2), Barra Mansa (2), Belford Roxo (2), Campos dos Goytacazes (2), Angra dos Reis (1), Queimados (1), Seropédica(1), Casemiro de Abreu (1), Italva (1), Pinheiral (1), Volta Redonda (2) e Barra Mansa (2).



COMO REDUZIR O BULLYING ?

Em geral , os animais competem com outros da mesma espécie ou até mesmo de espécie diferente para conquistar espaço , alimento ou parceiros sexuais (quando da mesma espécie ).O homem , como animal , não está fora desse contexto e apresenta , por natureza , graus de agressividade , com a vantagem de ter inteligência superior aos demais e , consequentemente , discernimento , raciocínio e engenhosidade. Essas características podem servir para o BEM ou para o MAL.


Embora saibamos que toda regra tem exceção , é de se reconhecer que as crianças e os adolescentes mostram essa tendência. Quando criados em núcleo familiar bem harmonizado , onde os valores éticos , morais , religiosos e culturais são transmitidos pelos seus ancestrais , os jovens apresentam menos agressividade e maior grau de afinidade com os membros do grupo social e têm uma certa sensação de pertencimento à Sociedade. Quando as experiências de vida são embasadas em exemplos positivos de solidariedade e fraternidade , há redução significativa desses impulsos. Na idade adulta e na velhice , a tendência à competição e à luta se reduz e não gera conflitos.Há uma moderação nas atitudes pelo longo processo de convivência e de relacionamento. As demonstrações de agressividade humana podem ser vistas a todo monento no trânsito e nos estádios de futebol por exemplo.

É por essa razão que FAMÍLIA , RELIGIÃO ( de qualquer credo ) , ESCOLA E MÍDIA devem ter o compromisso de fomentar os bons costumes para acelerar o processo de "maturação comportamental" . Se o NÚCLEO FAMILIAR está dilacerado ; se a IGREJA não está concectada com as crianças e com os jovens para atrai-los ; se a ESCOLA não está equipada para ser um local de convívio prazeroso de aprendizagem e de troca de experiências ; se a MÍDIA prioriza a programação que divulga e atinge as crianças com exploração dos eventos envolvendo a criminalidade em horário nobre , enaltecendo deliquentes, criando verdadeiros "gênios do crime" e vulgarizando as ações policiais , além de se utilizar de telenovelas que ressaltam valores negativos como TRAIÇÃO , CIiÚME , INVEJA , ÓDIO e vilões que passam a maior parte do tempo "se dando bem", para usar a linguagem popular , não há como se esperar que ocorra coisa diferente a não ser exacerbar o instinto naturalemnte agressivo do ser humano.

Os " freios " são representados pelo respeito ao próximo advindos de lições familiares baseadas na Lei de Deus e na Lei dos Homens. O medo da punição divina e da pena imposta pelas leis humanas são fundamentais para a PAZ SOCIAL . São as "palmadas" que a PALAVRA provoca.

O modelo econômico gera diferenças sociais gritantes que alimentam os conflitos ; a "cultura  do consumismo" incentiva a vontade de se ter o que o outro tem custe o que custar , haja o que houver. Desintegra-se o grupo social. Cortam-se os liames entre os indivíduos. A teia social se desmonta. Não será a colocação pura e simples de inspetores, guardas municipais ou policiais nas escolas que inibirá o BULLYING. A repressão não sanará esse problema. Essas práticas são antigas só que ocorriam com menos agressividade , em menor número e com outro nome , porque a FAMÍLIA era mais atuante. Se há outra característica que o homem tem (salvo as exceções) é a de fazer o que lhe proibem se não houver a  devida conscientização. E , nas crianças e nos jovens , isso é marcante. Os alunos precisam é de ORIENTAÇÃO FAMILIAR . É preciso , pois , um GRANDE PACTO entre as instituições citadas para o resgate da EDUCAÇÃO PLENA fundada no CULTO AOS VALORES FRATERNOS ENTRE OS HOMENS. Aí sim, as manifestações de agressividade serão reduzidas.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Veja o caso Bullying.

Vítima de bullying, estudante de 13 anos entregou pelo menos R$ 1 mil para não apanhar


Um estudante do 8º ano do ensino fundamental de uma escola pública de Campo Grande foi forçado a entregar ao menos R$ 1 mil a um ex-colega de sala da mesma idade por conta de seguidas ameaças de espancamento e até de morte. As ameaças já duravam um ano.

Além do dinheiro, o menino de 13 anos era obrigado a copiar atividades e fazer tarefas ao aluno agressor, informou a delegada Aline Finnott Lopes, chefe da Deaij (Delegacia de Atendimento a Infância e Juventude), que cuida do caso como extorsão.

Embora o episódio tenha sido divulgado somente nesta segunda (23), na quarta-feira passada a policial apreendeu o adolescente pegando R$ 50,00 da vítima num terminal de ônibus da cidade.

A delegada informou que a ocorrência pode ser tratada como bullying porque outros dois colegas do estudante também teriam tirado dinheiro do estudante mediante ameaça de morte. O bullyng, no entanto, não é tido como crime.

A violência em questão, segundo a delegada, começou no início do ano passado, quando os dois alunos estudavam na mesma classe. O acusado estuda hoje numa outra escola pública.

O garoto disse à delegada que no início das ameaças o colega exigia dele apenas que copiasse as atividades escritas pela professora e fizesse as tarefas, caso contrário poderia apanhar no fim das aulas. A delegada disse que investiga uma situação ocorrida no ano passado, quando o estudante teria sido surrado por desobedecer à imposição do colega.

"Com o passar dos dias o agressor exigiu dinheiro do estudante”, Aline Lopes. O menino pegava dinheiro dos pais, donos de um supermercado, e entregava ao colega sem revelar as ameaças a ninguém. “Ele tinha medo, daí o silêncio”, disse a delegada.

No meio do ano passado, as ameaças foram reveladas a direção da escola, mas a apuração não seguiu adiante porque o aluno agressor prometeu que não ia mais importunar o colega, segundo a delegada.

Mas isso não aconteceu. O estudante agredido continuou fazendo as tarefas e copiado as atividades escolares para o colega, sempre sob ameaças, incluindo de morte.

A mãe do menino soube do caso na semana passada por meio de uma colega da família. Alunos da mesma sala também sabiam das ameaças, mas temiam represálias, por isso teriam mantido o caso em segredo, segundo Aline Finott.

Os pais denunciaram o caso à polícia e a delegada disse ter feito uma campana por duas horas num terminal de ônibus. O agressor foi aprendido em flagrante logo que pegou o dinheiro. Antes, a mãe do menino ouviu o diálogo por telefone entre o filho e o agressor, que exigiu o dinheiro.

Levado para a delegacia, o menino disse que, com o dinheiro arrecadado consertava sua bicicleta. Ele negou a quantia calculada pela família da vítima. “Não foi tudo isso [R$ 1 mil], não”, respondeu o estudante, que confirmou as ameaças.A mãe do agressor disse ter ficado surpresa com a atitude do filho e que nunca teria visto ele com dinheiro.

A delegada disse já ter concluído o inquérito e o mandado ao Ministério Público Estadual que deve se pronunciar acerca do caso ainda nesta semana.

Em São Paulo, um anteprojeto ainda debatido pode considerar a violência intencional contra alunos e colegas como crime. Se aprovado essa prática pode motivar uma pena de um a quatro anos de reclusão, mais pagamento de multa.
Fonte : Bejarano
Amanhã, comentaremos o problema bullying .

MEU DEUS ! ATÉ TU JOÃO HAVELANGE ?

Teixeira foi forçado a devolver dinheiro de propina, aponta programa da BBC


A Fifa está impedindo a divulgação de um documento que revela a identidade de dois dirigentes da Fifa que foram forçados a devolver dinheiro de propinas em um acordo para encerrar uma investigação criminal na Suíça no ano passado. A informação é do site da BBC Brasil. Uma reportagem do programa de televisão Panorama, da BBC de Londres, apurou que um dos dirigentes é o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, que integra também o Comitê Executivo da Fifa.

O atual presidente da Fifa, Joseph Blatter, declarou recentemente a adoção de uma política de "tolerância zero" para casos de corrupção. No entanto, advogados que atuam em nome da Fifa estão contestando a decisão de um promotor de Zug, cidade no nordeste da Suíça, que determinou a divulgação de detalhes do caso, diz a BBC.

Ainda segundo o site, um acordo encerrou uma investigação sobre propinas pagas a altos dirigentes da Fifa na década de 1990 por uma empresa de marketing esportivo, a International Sports and Leisure (ISL). Até sua falência, em 2001, a ISL comercializava os direitos de televisão e os anúncios publicitários da Copa do Mundo para anunciantes e patrocinadores.

No ano passado, o Panorama acusou três integrantes do Comitê Executivo da Fifa, que escolhem as sedes das Copas do Mundo, de receber propinas da ISL, entre eles, Teixeira. Além dele, foram citados o paraguaio Nicolas Leoz e o camaronês Issa Hayatou.

Pagamentos feitos aos três dirigentes - no caso do brasileiro, a uma empresa ligada a ele - estavam em suposta uma lista secreta obtida pelo Panorama de propinas pagas a dirigentes esportivos pela ISL em um total de US$ 100 milhões.

A lista de supostos pagamentos incluía uma empresa de fachada em Liechtenstein, chamada Sanud, que teria recebido um total de US$ 9,5 milhões.

Uma investigação do Senado brasileiro em 2001 concluiu que Teixeira tinha uma relação muito próxima com a empresa, lembra a BBC. Segundo o portal, o inquérito descobriu que fundos da Sanud haviam sido secretamente desviados para Teixeira por meio de uma de suas companhias.

O jornalista suíço Jean François Tanda, que requisitou a divulgação de detalhes do acordo na Justiça, diz que a Fifa está atrasando a liberação do documento ao "esticar os prazos, um após o outro".

"A meta agora é evitar que a decisão seja divulgada antes do fim de maio ou do começo de junho", quando a eleição para presidente da Fifa será realizada, diz Tanda.

Além de Ricardo Teixeira, a investigação do Panorama cita outro brasileiro, o ex-presidente da Fifa João Havelange, e conclui que a decisão da promotoria suíça ao encerrar o caso também aponta que a Fifa falhou em coibir o pagamento de propina.

Blatter teria conhecimento de casos de propinas pagas a colegas do Comitê Executivo da Fifa pelo menos desde 1997, quando um suborno de US$ 1 milhão destinado a Havelange, então presidente da Fifa, teria sido enviado por engano à entidade.

Tanto Ricardo Teixeira como João Havelange se recusaram a responder perguntas feitas pela BBC. A Fifa se recusou a comentar alegações específicas e se limitou a reafirmar que, em relação ao acordo com a promotoria suíça, o caso está encerrado.

Fonte: JB

segunda-feira, 23 de maio de 2011

GOVERNO DO ESTADO DO RIO NÃO PRIORIZA SAÚDE.

Falta de remédios de alto custo não é o único problema nas farmácias populares do governo do estado. Os consumidores também denunciam que não encontram fraldas geriátricas. O aposentado Edson de Oliveira, de 65 anos, foi à unidade do Méier, que fica na Rua Dias da Cruz 638, para comprar o produto para a sogra, Zulma Teixeira, de 92 anos, que sofre do mal de Alzheimer, mas voltou de mãos abanando.

— Aqui temos direito a 24 pacotes, cada um com quatro unidades, no total de R$ 24. Nas farmácias convencionais, um pacote saí, em média, por R$ 11. Mas fazer o quê? Ela não pode ficar sem.

A professora Rosa Cordovil, moradora do Encantado, na Zona Norte do Rio, enfrenta o mesmo problema com a mãe, Maria José de Araujo, de 78 anos, que tem o mal de Parkinson. Ela conta que, desde o dia 5 de maio, não consegue encontrar as fraldas em farmácias do estado. Pelo telefone 0800, recebeu a informação de que só encontraria os pacotes no município de Resende:

— Se eu tivesse dinheiro para ir a Resende, seria preferível usá-lo para comprar fraldas aqui na farmácia da esquina da minha casa.

O aposentado Willian Sérgio, de 66 anos, estava indignado. Ele procurou as fraldas nas unidades de Jacarepaguá e Bangu, antes de chegar ao Méier, sem sucesso.

— É uma vergonha. Gastam milhões no Maracanã e deixam o idoso esquecido. Minha mãe tem 88, é pensionista e não tem condições. O Estado não prioriza tanto a terceira idade?

                 Problema operacional

O coordenador do Programa da Farmácia Popular, Márcio Luiz Ferreira Vieira, informou que o fabricante de fraldas geriátricas teve um problema operacional e deixou de fazer entregas durante alguns dias, o que ocasionou a falta do produto. Ele esclarece que o problema já foi sanado e os itens começaram a ser entregues no início desta semana.

sábado, 21 de maio de 2011

O RIO É TERRA DO TRÁFICO E DAS MILÍCIAS.NÃO HÁ GOVERNO.

Policiais militares são executados em Bangu


Assassinos estavam com fardas parecidas com a da PM, segundo testemunhas

Rio - Mais um crime brutal, que pode ter sido cometido por grupos paramilitares, foi registrado na Zona Oeste do Rio, no início da noite de ontem. Os soldados, identificados como Lira e Xavier, lotados respectivamente no 21º BPM (São João de Meriti) e 1º BPM (Estácio), foram executados com dezenas de tiros de fuzil, na Estrada do Engenho, próximo ao número 1.941, em Bangu.

De acordo com testemunhas, os assassinos — dois homens que saltaram de um carro escuro de placa não anotada — usavam fardas semelhantes às da Polícia Militar. O carro em que as vítimas estavam, o Golf preto placa ABO- 9777, foi atingido por cerca de 100 tiros.

INVESTIGAÇÃO

Segundo o coronel Djalma Beltrami, comandante do 14º BPM (Bangu), responsável pelo patrulhamento na região, não dá para afirmar que os assassinos eram policiais.

“A informação que nós temos é que os executores usavam fardas da PM. Mas não podemos dizer que eles são PMs, porque hoje em dia os uniformes são vendidos em lojas. É preciso apurar”, afirmou o oficial.

Beltrame disse que todas as indicações apontam que o crime tem características de acerto de contas, mas ainda é cedo para ligá-lo com milícia. “As características são de execução, mas as investigações serão feitas pela Divisão de Homicídios. O que colhemos até agora de informações foi passado para eles” O oficial acrescentou que a Corregedoria da corporação vai ajudar na apuração do crime.

Governador , pelo amor de Deus, pare com as estatísticas mentirosas. A Mídia está enganando a população. Os crimes aumentaram ; as UPPs não valem nada ; são aparatos políticos ; a criminalidade avança no Rio a passos largos.. O Sr Moreira , na década de 80 , já fez isso, ou seja, ordenou que a Pollícia não registrasse em livro oificial, os crimes para que as estatísticas chegassem aos níveis compatíveis com as promessas de campanha. CHEGA DE MENTIRA. QUEM MANDA NO RIO È O TRÁFICO E A MILÍCIA.^NÃO ENGANEM MAIS A POPULAÇÃO . AS UPPs não servem para nada NADA. O Governo está refem do Tráfico em algumas áreas e da milícia em outras. E acho que deve haver acord de não agressão entre eles.O tráfico rola solto , mas não há tiros e matam poucos policiais. E a população está CALADA ,onde as milícias e o tráfico atuam ou ENGANADA , onde não há essas práticas e a GLOBO e o "ESCRACHA" iludem. Falem a VERDADE ,

O RIO É TERRA DO TRÁFICO E DAS MILÍCIAS. NÂO HÁ GOVERNO.

O BRASIL VAI VIRAR ZORRA TOTAL .

              Lei muda regra para prisões


Acusados de crimes com pena de até quatro anos de reclusão não irão mais para a cadeia

Ninguém mais será preso por cometer crimes com pena de até quatro anos, como formação de quadrilha e furto. Os novos critérios impostos para as prisões temporárias e preventivas fazem parte da Lei 12.403/11, sancionada pela presidenta Dilma Roussef, que entra em vigor no dia 5 de julho. O texto divide a opinião de juristas.

Para alguns especialistas em direito criminal, as novas regras impedirão a prisão de muitos criminosos e podem gerar a sensação de impunidade. Outros acreditam que, além de desafogar as cadeias, a lei é equilibrada, pois prevê outras sanções, além da detenção.

Antes de decidir pela prisão, o juiz terá que aplicar até nove medidas que impedem que o acusado fique na cadeia. Entre elas, estão monitoramento eletrônico, proibição de frequentar determinados locais ou se comunicar com certas pessoas e o recolhimento em casa durante a noite e nos dias de folga.

A lei extingue ainda a detenção por 48 horas para averiguação. As prisões em flagrantes terão que ser transformadas pelo juiz em preventivas, caso contrário o acusado será solto.

As regras para o pagamento de fiança também mudam. Em crimes conhecidos como colarinho branco, o juízo poderá impor fiança em valores altos — até R$ 100 milhões. E se o réu não cumprir as determinações da Justiça, o dinheiro fica para o Estado.

“No caso do porte de arma, por exemplo, não se pode presumir que a pessoa matará alguém. Hoje, no País, há cerca de 8 milhões de pessoas armadas. E uma parte delas, pessoas de bem”, exemplifica o criminalista Luiz Flávio Gomes. Para ele, a lei é equilibrada. “O aumento da pena irá em favor da vítima, ou do Estado, em um crime contra o mesmo. A princípio, assusta, pode parecer que veio para criar impunidade. No entanto, o mais importante é que a lei trouxe nove medidas cautelares, ou seja, nove possibilidades. E o juiz pode esgotar essas possibilidades antes de colocar uma pessoa na prisão”, analisa.

Sensação de impunidade

Para o especialista em direito criminal Antônio Gonçalves, houve um afrouxamento em alguns artigos do Código Penal, o que pode gerar sensação de impunidade.

“Houve um afrouxamento nos crimes de menor potencial ofensivo. Mas, por outro lado, garante a presunção da inocência porque só haverá prisão depois do processo transitado e julgado. Sem dúvida, a lei vai gerar a sensação de impunidade. Celeridade processual não pode ser confundida com impunidade processual”, ponderou.

Se Dilma sancionar isso, será o fim do Mundo !

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Por que alguns Vereadores do Rio não renunciam aos seus Mandatos ?

A Vereadora Cristiane Brasil ( PTB/RJ) estaria envolvida em uma artimanha antiética para acobertar e garantir 20 cargos do Gabinete do Vereador Fausto Alves que se encontra preso , acusado de homicídio. Para evitar que os nomeados no gabiente de Fausto fossem exonerados , quando completasse o tempo previsto no Regimento da Casa , Cristiane , em acordo com o Prefeito da Cidade , pediu exoneração do cargo de Secretária da Secretaria do Idoso ( que muda de nome a toda hora) e voltou à Câmara.

Sua intenção seria a de preservar as pessoas que estão nos cargos do Gabinete de Fausto e , depois , voltar a ser Secretária do Prefeito da Cidade. Essa manobra é muito feia. Como agirão a Mesa Diretora da Casa Legislativa , a Comissão de Ética da Câmara Municipal e o Prefeito da Cidade ? Vão passar recibo em mais esse golpe ? Não acham que já desmoralizaram a Câmara Municipal demasiadamente ?

A Vereadora é filha do ex-deputado Roberto Jeferson , aquele que denunciou o MENSALÃO DO PT , acusando José Dirceu e Delúbio de comprar deputados e senadores , porque , sendo as más línguas , teria perdido a "boquinha" e se revoltara. Depois do escândalo , no qual ele foi o centro das atenções no País, como  denunciante , atacando ministros e assessores de Lula , voltou a se aliar ao PT apoiando Dilma nas eleições em 2010. Será que filha de peixe peixinha é ?...

A Câmara Municipal do Rio já está em apuros no que tange ao fato de ter vários vereadores presos ( Gerominho , o falecido Nadinho , Girão , Deco e Fausto Alves) . Na semana passada , esteve na Mídia pela desastrada iniciativa de adquirir 51 carros para vereadores ; aprovou a maldita taxa de iluminação proposta pelo Prefeito indignando a população ; e , agora , assiste a essa falcatrua . Em nome da "falsa ética" , que deve ser chamada de corporativismo ou "rabo preso" alguns se calam e poucos se insurgem.

Poderiam acabar coma Comissão de Ética da Câmara , porque não tem eficácia nenhuma. Há muito discurso na TV , mas não vemos resultados de sua ação. O ideal seria que uma boa parte dos vereadores tomasse vergonha na cara e renunciasse ao seu cargo , pois não estão exercendo o papel para o qual foram eleitos. E , de forma dissimulada ,ainda voltarão a pedir votos em 2012. Esperamos que não !

quinta-feira, 19 de maio de 2011

O PAÍS QUE TEM MAIS IMPOSTOS NO MUNDO ?

            Pobres pagam mais impostos que ricos, aponta Ipea

 
As famílias mais pobres são as que pagam mais impostos, segundo estudo divulgado nesta quinta-feira pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

De acordo com a pesquisa, 32% da renda dos mais pobres é convertida em pagamento de tributos. Desses, 28% são em impostos indiretos, como ICMS, IPI e PIS/COFINS e 4% diretos, como Imposto de Renda, IPTU e IPVA.

Já os que ganham mais, pagam 21% de impostos do total de sua renda. Desse total, 10% são em tributos indiretos e 11% em tributos diretos.

"Os pobres tem uma carga muito alta sobre a sua renda. Na hora de distribuir nós estamos dando mais ricos. Nós continuamos injustos demais.", alertou o técnico em planejamento do Ipea, Fernando Gaiger Silveira.

O técnico do instituto disse que para que o problema seja solucionado, é preciso ter uma redução nos impostos indiretos e um aumento na carga tributaria direta. Para ele, impostos como o IPTU e IPVA devem ser ampliados, pois são as pessoas que tem a maior renda que pagam.

"O que a gente tem que fazer é subir a tributação direta, como IPTU e IPVA. Sobre IPTU, os municípios têm a obrigação de atualizar suas plantas de valores", disse.

QUAL A INTENÇÃO DO MEC COM O "NÓS PEGA"?

Uso de linguagem popular é orientação do MEC . Entenda a polêmica do livro com “nós pega”


Maria Erlaine Mendes da Silva fala “nós pega”, mas sabe que está em desacordo com a norma culta da língua portuguesa. Aprendeu na escola, onde cursa o 7º ano do Ensino Fundamental, em curso de Educação de Jovens e Adultos (EJA). A aluna não gostou de saber que o livro adotado na escola onde estuda, Por uma Vida Melhor, da coleção “Viver, Aprender”, aceita que não seja necessariamente usada a regra na fala. Na escola, professores também reclamam. Mas a Secretaria Estadual de Educação informou que, por enquanto, não vai se pronunciar sobre o assunto.

Erlaine tem 22 anos e ficou oito deles sem estudar. Parou aos 16 quando deixou o Ceará em direção ao Rio de Janeiro, em busca de emprego. Trabalhou todo esse tempo como doméstica e agora tenta completar os estudos na esperança de conseguir um emprego melhor. “Tinha de dormir no emprego. Cheguei a pensar que abandonaria os estudos de vez”, conta a doméstica. “Meus patrões atuais incentivaram. Dizem que não posso ser doméstica a vida inteira”, conta. Assim como outros colegas, Erlaine diz que prefere ser corrigida na sala de aula a sair por aí “falando errado”. “Não tenho vergonha de ser corrigida. É obrigação do professor ensinar o certo”. Sobre a aceitação – proposta pelo livro – da forma popular na sala de aula, a estudante foi categórica: “Já fui corrigida pelos meus patrões quando falei errado. Fiquei com vergonha. Estou na escola para não precisar passar por isso outra vez”, afirmou.

Doméstica Cleonice Vieira da Silva diz já se sentiu mal por ser chamada a atenção depois de escrever um bilhete de maneira "errada"

Cleonice Vieira da Silva tem 56 anos e acredita que a idade não lhe permite buscar um emprego melhor. É empregada doméstica há mais de três décadas. “Estudo porque é um objetivo de vida. A pessoa que sabe das coisas se sente mais segura”, contou. Ouvinte assídua de rádio, ela soube da polêmica em um dos programas que acompanha. Mas diz que não tinha conhecimento de que o livro em questão era o que carregava na mochila. “A gente ainda não estudou o capítulo. Mas não quero aprender errado, não. Já levei bronca por anotar recados errados. Quero fazer tudo certinho”.

Um professor do curso de EJA na rede estadual do Rio que recebeu o livro para ministrar em sala de aula disse que ficou revoltado quando tomou conhecimento da polêmica. “Os alunos falam dessa forma. A maioria. Isso é um fato, e chega a ser lógico. Falam assim porque aprenderam assim. Mas eu tenho a obrigação de sinalizá-los sobre a norma culta”, diz o docente. “Não adianta a escola fazer concessão se o mercado de trabalho, se a vida, não faz”.

Autonomia para escolher livros

A Secretaria de Educação do Rio de Janeiro informou, por e-mail, que as escolas da rede que oferecem cursos para adultos têm autonomia para escolher os livros que o Ministério da Educação disponibiliza para o EJA. A secretaria também afirmou que faz um levantamento sobre os livros adotados – trabalho que ainda não foi concluído –, para que possa comentar o assunto. Por isso informa que por enquanto não tem como abordar a questão.

O iG confirmou que escolas estaduais das zonas norte a sul da cidade receberam exemplares. É o caso da Escola Estadual de Ensino Supletivo Berlin, em Olaria, no subúrbio carioca, e da Escola Estadual Marília de Dirceu, em Ipanema, um dos endereços mais nobres da cidade.

“Sou zoado”

Severino Ramos Gomes da Silva, de 15 anos, está no 6º ano do Ensino Fundamental. No curso supletivo. Ele precisou interromper os estudos depois que a mãe, viúva, abandonou a Paraíba para tentar a sorte no Rio de Janeiro. Na capital carioca deixou no nome de batismo de lado. Prefere ser chamado de “Diego”. Trabalhou um tempo em lanchonete, mas agora está desempregado. “Sei que o salário mínimo é de R$ 545. Mas eu quero receber R$ 1 mil. Preciso estudar”, falou. “Para fazer qualquer coisa nessa vida tem que ter o segundo grau”, disse, em referência à conclusão do ensino médio.

“Diego” também fala “nós vai” e “a gente sabemos”. Justifica a oralidade alegando ser filho de analfabeta e de família humilde. Morador da favela da Rocinha, o aluno contou que já foi corrigido dentro de sala de aula e que ficou constrangido. Mas ressaltou que o “mico” não o fez querer falar diferente das “pessoas que sabem das coisas”. “Fui corrigido algumas vezes e todo mundo na sala riu. Sou zoado, mas prefiro falar como os outros que sabem”.

Aos 33 anos, o marceneiro Antônio Ribeiro dos Santos chega pontualmente ao curso supletivo, às 19h, a fim de concluir o ensino fundamental. Está no 7º ano. Perguntado se deveria falar “nós pega o peixe” ou “nós pegamos o peixe”, pediu um tempo para pensar. Em menos de um minuto, ele respondeu. “Nós pegamos o peixe, não é?”.

Por ser um profissional autônomo “já encaminhado”, Antônio não pensa em fazer faculdade. “Sem estudo fica muito mais difícil. Já tive de assinar contrato em que não entendia um monte de coisa e precisei pedir que me explicassem. Não quero mais isso”, falou. “Fiz curso de radialista comunitário, porque gosto dessa profissão. Tenho de falar corretamente quando ligam o microfone, não é?”, perguntou, antes de seguir para a aula.

"No Brasil, a pessoa tem que ter estudos, senão fica tudo mais difícil", diz o marceneiro Antônio Ribeiro dos Santos

Uma coordenadora de curso supletivo na rede estadual manifestou descontentamento com a publicação. “O professor de português me chamou a atenção para o assunto. A sensação que tenho é a de que querem sempre nivelar o aluno da escola pública por baixo”. A professora, que trabalha na rede pública há 27 anos, reconhece que mesmo formados os alunos permanecem fiéis à forma popular, mas afirma que isso não é motivo para que um livro didático aceite novas regras. “Se desfazer de um vício de linguagem é muito difícil, porque quando saem da escola eles voltam a conviver no meio onde aprendem a falar ‘errado’. Porém, considero isso mais um motivo para que a escola sirva de parâmetro sobre o que aceita a norma culta”, conclui.

Adaptado

quarta-feira, 18 de maio de 2011

PACIFICADAS OU OCUPADAS COM ACORDOS COM BANDIDOS ?

FAMÍLIA DE ELETRICISTA EXECUTADO NO ALEMÃO VOLTA À FAVELA COM ESCOLTA POLICIAL

Na região que se diz pacificada pelo governo do Estado, foi preciso que a família do eletricista Wallace Moreira Amorim, de 31 anos, executado por traficantes com 13 tiros no dia 4 de maio, pedisse socorro. E o que eles queriam era simples: retirar roupas, louças e pequenos objetos das duas casas que tiveram que abandonar na favela Nova Brasília, no Complexo do Alemão. A ajuda veio apenas 14 dias depois e a iniciativa não partiu do Exército e nem da Secretaria de Segurança Pública. Foi preciso que a Comissão de Direitos Humanos da Alerj, representada pelo deputado Marcelo Freixo, abrisse suas portas para receber a família. Pedido feito, pedido atendido.


O deputado pediu auxílio ao delegado Alexandre Capote, da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) que de imediato ofereceu escolta para que a família retornasse à comunidade para retirar seus objetos. Nesta quarta-feira, depois de uma hora e meia, a família conseguiu encher uma Kombi cedida pela Secretaria de Assistência Social, outro pedido feito pelo deputado.

As ropas e objetos foram colocados em sacos de lixo. Depois, ao trancar a porta, a família deixou para trás ainda os móveis, já que ainda não possui local fixo para morar, além de uma faixa de vende-se pendurada no portão da casa. Escoltados pelos carros da polícia, saíram da comunidade e tomaram destino que preferiram não dizer.

Policiais da Draco fazem a escolta dos parentes do eletricista executado por traficantes no Alemão .

Os agentes da Polícia Civil vigiaram a região durante a mudança  Vejam as fotos ilustrativas.
fonte:Extra


terça-feira, 17 de maio de 2011

Petição Pública

Petição Pública

MOVIMENTO EM DEFESA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO RIO.

Em razão da absurda iniciativa do Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro encaminhando o Projeto de Lei Complementar - PLC 41 - que altera as regras da Aposentadoria dos servidores municipais , promovendo vários prejuízos , entre os quais , a abolição da paridade entre servidores ativos e inativos , além da redução dos benefícios de pensionistas , solicitamos a sua participação nesse MOVIMENTO EM DEFESA DOS SERVIDORES PÚBLICOS , assinando essa petição pública e repassando aos seus amigos para que façam o mesmo. Não podemos admitir que as autoridades , de forma arbitrária , isto é , sem ouvir os interessados , alterem as regras do jogo que provocam prejuizos aos atuais e aos futuros aposentados. Nossa intenção é a de sensibilizar os vereadores para rejeitar esse Projeto tão danoso e desmotivador para os funcionários públicos.

A petição : http://www.peticaopublica.com/?pi=P2011N988

Participe.

Como explicar esse fenômeno ?

No Brasil ocorrem coisas que até Deus duvida. Se um trabalhador declara o Imposto de Renda e desconta despesas médicas é chamado à Receita Federal para explicar , detalhadamente , seus gastos com saúde. A não ser se acertar na loteria , dificilmente uma pessoa "mortal" se tornará rica de uma hora para outra nesse País. De forma ilícita , os casos se multiplicam , mas ,com trabalho, é pouco provável ou muito raro.Como se explica , então , o exemplo do Dr Palocci ?

A Disfarçada " IMPLOSÃO DO MARACANÃ I ".

Cobertura do estádio começa a ser demolida antes do prazo previsto. Consultora espanhola diz que a estrutura apresentava problemas, mas que reforma resolveria


Rio - Começou ontem a demolição da cobertura do Maracanã. No último dia 6, a Secretaria Estadual de Obras afirmou que a derrubada da marquise só começaria na primeira semana de junho. Em entrevista a O DIA, a espanhola María del Carmen Andrade, uma das maiores especialistas do mundo em estruturas, que em janeiro fez avaliação técnica do Maracanã por encomenda do estado, confirmou ontem problemas estruturais nas marquises, mas afirmou que demolir não era a única opção.

Ontem, operários já trabalhavam na demolição da marquise do Maracanã, que já teve grande parte das arquibancadas destruídas: polêmica
Foto: Carlos Moraes / Agência O Dia

“Apresentavam certo nível de deterioração na estrutura, que precisava ser reparada. Algo tinha que ser feito. Mas demolir não era imprescindível, também poderiam ser feitos reparos”, afirmou a especialista que, antes do parecer, analisou resultados de estudos feitos pelos engenheiros brasileiros responsáveis pela obra.

Ao tomar a decisão de pôr a cobertura abaixo, o governo argumentou que a estrutura estaria condenada. No início da tarde de ontem, operários já haviam retirado partes do teto do estádio.

O procurador Maurício Andreiuolo, do Ministério Público Federal (MPF), se disse perplexo com a antecipação dos trabalhos e prometeu ir à Justiça para averiguar o caso. A destruição da marquise começou dois dias depois de o ‘Informe do DIA’ noticiar que o MPF havia tomado medidas para tentar impedir a descaracterização do estádio. Em ofícios enviados na sexta-feira a vários órgãos e autoridades — entre elas, o Iphan e o governador Sérgio Cabral —, Andreiuolo recomendou “o estrito cumprimento da legislação” em relação às obras, “em especial aos limites impostos pelo tombamento” do estádio, ocorrido há 11 anos.

Ontem, o procurador Andreiuolo, à frente de inquérito civil público para apurar irregularidades na reforma, afirmou estudar medidas judiciais para suspender a demolição e averiguar responsabilidades. Nos ofícios, ressaltou que a legislação proíbe demolir, destruir ou mutilar bens tombados.

MUDANÇA DE PLANOS

O projeto original da reforma do Maracanã previa complementação da cobertura original. Mas, em março, o estado anunciou que toda a estrutura seria demolida. Afirmou que, de acordo com laudos encomendados a empresas especializadas, o teto do estádio estava condenado. Em abril, o superintendente regional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Carlos Fernando Andrade, autorizou, sem consulta ao corpo técnico do órgão, a substituição da marquise por cobertura de lonas tensionadas.

Prestação de contas hoje

Presidente da Empresa de Obras Públicas do estado (Emop), Ícaro Moreno Júnior, que coordena os trabalhos no Maracanã, foi intimado a prestar esclarecimentos ao MP. Procurado por O DIA, ele não concedeu entrevista por estar se preparando para apresentar, hoje, em Brasília, o projeto das obras ao Tribunal de Contas da União (TCU), que questiona o orçamento.

Em março, o TCU e a Controladoria Geral da União criticaram as informações sobre a reforma no estádio. É necessário o aval do TCU para que o BNDES libere R$ 400 milhões para a empreitada. A obra inicialmente em R$ 705 milhões deverá passar de R$ 1 bilhão devido às mudanças no projeto.

Estado diz que recuperação ficaria cara

Vice-governador e secretário de Obras, Luiz Fernando Pezão negou, ontem, que o início da derrubada da marquise do Maracanã tenha sido antecipada em função das ações do MPF. Segundo ele, a demolição havia começado há vários dias, com escavação externa da sustentação da cobertura. Ressaltou que o ritmo das obras foi acelerado nos últimos dias e reafirmou que laudos detectaram problemas graves da estrutura. Segundo ele, seria muito cara e demorada a recuperação do teto.

Ontem, o MP ajuizou processo contra o ex-ministro dos Esporte Agnelo Queiroz, o vice-presidente do COB, o ex-presidente da Caixa Jorge Eduardo Mattoso, o Comitê Organizador do Pan 2007 e a construtora Agenco, por fraude no aluguel dos apartamentos da Vila do Pan 2007. O valor pago foi 62% maior. (Fonte O Dia On line)

Em tempo : A obra de reforma (IMPLOSÃO DISFARÇADA) vai ultrapassar um bilhão de reais.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

É essa a resposta do Governador aos Bombeiros do RIO ?

Cabral diz que policiais e bombeiros podem ir uniformizados à Parada Gay



 Fonte :Jornal do Brasil



O governador Sérgio Cabral lançou hoje a Campanha Rio Sem Homofobia, que será veiculada por rádios, televisões, cartazes, outdoors, busdoor, mobiliário urbano, folhetos, além de um site e itens promocionais, como camisetas, barracas de praia e blocos. A campanha estará nas ruas a partir de amanhã, data em que se comemora o Dia Mundial de Combate à Homofobia. O tema ganhou uma data comemorativa desde 1993, e este ano terá a adesão de 102 países, entre eles o Brasil, que vai marcar a luta do movimento GLBT (gays, lésbicas, bissexuais e transexuais).

O governador acredita que, assim como fizeram os membros do Supremo Tribunal Federal, aprovando a união civil de pessoas do mesmo sexo, o Senado vai aprovar o projeto de lei 122/2006 que criminaliza a homofobia. Ele também listou uma série de medidas que o Governo do Estado tomou, nos últimos anos, para diminuir a discriminação que esse segmento da população sofre.

Cabral e o coordenador do Programa Rio sem Homofobia e presidente do Conselho dos Direitos LGBT, Cláudio Nascimento

"E, agora, vamos lançar esta campanha publicitária, para termos o Rio sem homofobia", enfatizou o governador antes de pedir à equipe técnica para rodar as peças publicitárias feitas para o rádio e televisão, que ele próprio ajudou a criar.

Na ocasião, o governador autorizou os policias gays a participarem da próxima Parada Gay uniformizados. Ele disse que vai autorizá-los, inclusive, a usarem as viaturas.

Além do governador, participaram da cerimônia o vice-governador e secretário de Obras, Luiz Fernando Pezão, a senadora Marta Suplicy, que representa a frente parlamentar LGBT no Congresso Nacional, o secretário-chefe da Casa Civil, Regis Fichtner, e o secretário de Assistência Social e Direitos Humanos, Rodrigo Neves.

Segundo o coordenador do Programa Rio sem Homofobia e presidente do Conselho Estadual dos Direitos da população LGBT, Cláudio Nascimento, a luta, agora, é fazer com que o Congresso Nacional aprove a lei que considera crime qualquer ato contra homossexuais:

"Um passo importantíssimo que nós demos foi a aprovação, no Supremo Tribunal Federal, da legalização da união civil de pessoas do mesmo sexo. Uma vitória que foi conseguida por meio de uma ação do governo do estado. Isso dá orgulho ao Rio de Janeiro, que sempre foi vanguarda na história das transformações sociais do país. A próxima etapa é fazer com que o Congresso saia da letargia, da sua covardia em relação a esse debate, e assuma de forma objetiva e sincera um setor da sociedade que está excluído dos direitos plenos de cidadania. É preciso ter uma legislação que torne crime a prática da homofobia", disse.

Cláudio Nascimento informou também que, amanhã, sairão caravanas de 27 estados para pressionar o Congresso Nacional a votar o projeto de lei 122/2006, que criminaliza a prática de homofobia.

Assinatura de Petição Pública em favor dos Bombeiros do Rio.

Amigos, Cidadãos do Rio de Janeiro,

A HORA É ESTA ! As autoridades do Rio de Janeiro , a partir desse MOVIMENTO DEMOCRÁTICO , de origem verdadeiramente popular , deverão começar a ouvir as pessoas que lhes conferiram o Mandato , por meio de eleição.

Chega de autoritarismo ! Chega de conchavos ! O Povo começa a se organizar , por meio das redes sociais para cobrar o que é de seu direito. E esse caso dos BOMBEIROS DO RIO , massacrados pela Mídia e pelos maus governantes , é o NOVO MARCO nas relações de Poder.

Alguns (poucos) parlamentares tiveram a coragem de tentar. Mas as relações com o Governador e com o Prefeito estão muito nebulosas e contaminadas. VAMOS AGIR . Então é a VEZ DO POVO que paga a todos eles e pode exigir o que lhe é devido. Não ficaremos nisso. Todas as categorias , todas as reivindicações deverão ser organizadas dessa forma.

Participe. Assine a PETIÇÃO PÚBLICA abaixo e repasse aos seus amigos.

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N9806

QUEM SABE FAZ A HORA, NÂO ESPERA ACONTECER...

O Poder é do Povo.

Assinatura de Petição Pública em favor dos Bombeiros do Rio.

Amigos, Cidadãos do Rio de Janeiro,

                      A HORA É ESTA ! As autoridades do Rio de Janeiro ,  a partir desse MOVIMENTO DEMOCRÁTICO , de origem verdadeiramente popular , deverão começar a ouvir as pessoas que lhes conferiram o Mandato , por meio de eleição.

Chega de autoritarismo ! Chega de conchavos !  O Povo começa a se organizar , por meio das redes sociais para cobrar o que é de seu direito. E esse caso dos BOMBEIROS DO RIO , massacrados pela Mídia e pelos maus governantes , é o NOVO MARCO  nas relações de Poder.

Alguns (poucos) parlamentares tiveram a coragem de tentar. Mas as relações com o Governador e com o Prefeito estão muito nebulosas e contaminadas.  VAMOS AGIR . Então é a VEZ DO  POVO que paga a todos eles e pode exigir o que lhe é devido. Não ficaremos nisso. Todas as categorias , todas as reivindicações deverão ser organizadas dessa forma.

Participe. Assine a PETIÇÃO PÚBLICA abaixo e repasse aos seus amigos.

http://www.petiçaopublica.com.br/?pi=P2011N9806

QUEM SABE FAZ A HORA, NÂO ESPERA ACONTECER... 
O Poder é do Povo.

A COMPRA DE CARROS E OS VEREADORES DO RIO.

Em 15 de março de 2011 , foi feita pela Mesa Diretora da Câmara Municipal do Rio de Janeiro , uma reunião com 46 vereadores ( o total é de 51 ) para anunciar a intenção de comprar uma frota de 51 JETTAS 0 Km , sob o preço de R$ 69 100 cada um. Na ocasião , 41 defenderam veementemente a aquisição e cinco abriram mão do benefício . A compra foi decidida em colegiado. Essas foram as declarações do Presidente da Câmara.


Diante das críticas da Mídia e fruto da repercussão negativa , o Presidente da Câmara decidiu sustar a compra. Ocorre que a Volkswagen já recebeu um cheque de R$ 2,3 milhões , relativos ao pagamento dos 33 primeiros veículos que já estariam sendo emplacados. Atemorizados com a pressão midiática , alguns vereadores , dentre os 41 que queriam , desistiram do veículo e outros se esconderam , segundo fala do Presidente.

A nossa leitura sobre a questão repousa em outro vetor , como não poderia deixar de ser. Nem sempre o que a Mídia apresenta como fundamental é verdadeiramente o cerne do problema. Não entramos no mérito se vereador deve ou não ter carro. Isso já foi amplamente divulgado. Lembramos que as comissões já dispõem de 26 veículos para deslocamento dos parlamentares em visitas com o objetivo de fiscalizar e controlar as ações do Executivo, de acordo com suas especificidades. O que mais nos espanta são as declarações que mostram imaturidade, dissimulação , exposição à mídia à cata de voto, mentiras e até falta de decoro. Em que mãos colocamos as decisões sobre os temas políticos e administrativos de nossa Cidade ? Se não há maturidade para tomar uma decisão , por que fazê-la e , depois , recuar como ratos molhados que se escondem nas tocas imundas e fétidas ?

Cada Vereador representa , matematicamente , 1/51 da população carioca por via direta ,ou seja , 123.981 habitantes e , por via indireta , os que aqui trabalham , mas residem em outros municípios e que circulam pela nossa Cidade e se utilizam dos serviços por ela implementados. Adicionemos , ainda , os turistas de outros estados do País ou estrangeiros. Se os vereadores não têm firmeza nem autoridade em suas decisões simples como a de comprar ou não veículos para a CMRJ , como podemos depositar confiança na defesa de interesses da população em suas mãos já que os mesmos ficam trêmulos , pálidos e covardes diante do primeiro "berro" da Mídia ? PIOR QUE A OUSADIA DE PRETENDER COMPRAR FOI A COVARDIA FRENTE À PRESSÃO DA IMPRENSA , POIS O POVO NÃO CHEGOU A SE MOBILIZAR. Eles não foram prudentes; foram frágeis na iniciativa e no curso do fato. O Povo os elegeu e a Mídia pauta as suas decisões. Estão sempre com medo de perder votos. Que lástima !..

É por isso que o Prefeito deita e rola ; usa e abusa. Ele sabe com quem lida. Conhece a fragilidade de muitos que lá estão. Poucos representam os interesses populares; a maioria é serviçal , trocando seu voto na CÂMARA por um punhado de asfalto , por podas de árvores , por reparos em iluminação e outras "cositas mais", sem acompanhar , ficalizar e controlar as ações do Poder Executivo em benefício dos que pagam impostos e que lhes deram o Mandato para acompanhar as ações do Prefeito e de seus secretáruios em defesa da coletividade, uma das verdadeiras atribuições do Legislativo do qual fazem parte.

sábado, 14 de maio de 2011

ATÉ ONDE VAI O MASSACRE AOS BOMBEIROS DO RIO ?

Os jornais de hoje festejam a prisão de 5 bombeiros que seriam os líderes do movimento reivindicatório da classe. Em um desses " verdadeiros diários oficiais dos governos", porque é assim que eles agem , aparece com letras em destaque , procurando aliciar os leitores desavisados, "JUSTIÇA MANDA PRENDER OS "LARGA-VIDAS" , numa incrível atitude de parcialidade em favor do Poder e caracterizando um deboche aos valorosos BOMBEIROS DESSE ESTADO. A que ponto os jornais chegaram para ter ao seu lado a "parceria" ( ? ) dos governantes que fazem anúncios de autopromoção com gastos do dinheiro público de forma abusiva e desnecessária, já que um bom governo não precisa se autopromover.Quem governa bem tem aprovação dos cidadãos pelos serviços que presta na Educação, na Saúde, nos transportes etc. Não precisa de Mídia a toda hora. Agora, começaram as propagandas da Prefeitura. Eleições 2012,é claro...E o TRE ?


E o Glogo faz mais : "MILITARES DESAFIAM GOVERNO COM GREVE E PASSEATA". Essa manchete é carregada de carga negativa contra os Bombeiros. Ela pressiona as autoridades. E todos sabemos que , hoje, as autoridades estaduais e municipais são muito dependentes da Mídia, pois se o jornalismo fosse a favor do povo mostraria todos os absurdos , todos os superfavorecimentos, todos os crimes , todas as mentiras em estatísticas manipuladas e manipuladoras, toda a verdade que ocorre nas UPPs , nas UPAs e nas Clínicas da Família , todas as formas de corrupção que corroem as finanças públicas e os NOSSOS FALSOS REIS ESTARIAM NUS.

Por que os jornais não dão o mesmo destaque para os salários aviltantes que os bombeiros recebem ? O salário de Bombeiro no Rio de Janeiro é o PIOR DO BRASIL... Por que não denunciam as más condições de trabalho desses profissionais ? Por que maltratar os menos poderosos nesse confronto ? Por que a matéria não é tratada com isenção pelos jornais ? Não é estranho ? Parece que há um CONCLUIO...

Com muita alegria , ontem e hoje, a Mídia festeja a prisão de 5 bombeiros.Parece com a "palhaçada" norteamericana mostrada ao Mundo , mas principalemnte as americanos ao anunciar a morte de Bin Laden,como se isso acabasse com o terrorismo. Deve ter havido champanhe e muitos salgadinhos para a festança.

Não me venham com o argumento de que a greve é ILEGAL para justificar as prisões. Se formos por esse ângulo , se formos cumprir a LEI à risca ,será muito bom ,mas o Secretário de Saúde e o Governador já deveriam estar presos há muito tempo por descumprimento de inúmeras ordens judiciais para internações de pacientes com doenças graves , realização de cirurgias de urgência e,entrega de remédios. Se formos cumprir à risca a letra da Lei , o Governador e os prefeitos do Rio e de Niterói deveriam estar presos porque , até agora , não entregaram o aluguel social das famílias desabrigadas nas enchentes e nos desabamentos ocorridos nas chuvas em 2010. Por que a Justiça é célere e "JUSTA" só para os mais fracos ?

A população precisa saber ( e , para isso , solicitamos que divulguem ao máximo essas ideias) que a situação de greve não chegaria a esse ponto se o Governador , o Comando dos Bombeiros e o Secretário Estadual de Saúde tivessem ouvido a categoria. A alegação do Governador de que a greve é política não cola. Não dá para nos iludir com essa mentira. Quem dera que fosse. Pelo menos , estaríamos reinaugurando a Política no Brasil. É preciso lembrar que não há greve que possa ter êxito , principalmente quando as autoridades responsáveis ( ?) são surdas , sem que alguém , INFELIZMENTE , seja prejudicado.

O governo não investe um centavo na compra de equipamentos para a corporação . Os recursos oriundos da TAXA DE INCÊNDIO , que deveriam servir para o CBMERJ se equipar , são usados para custear obras públicas (?). Lembremos que as taxas são VINCULADAS. E , por falarmos em TAXA ,como anda a iluminação da Cidade depois do advento da TAXA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ? Não deveriam ser presos os irresponsáveis ?

sexta-feira, 13 de maio de 2011

E AINDA DIZEM QUE MEUS TEXTOS SÃO ÁCIDOS...

Livro escolar defende os erros de concordância


Obra didática comprada pelo MEC para 4.236 escolas públicas do País dispensa a conjugação de verbos e considera certas expressões como "nós pega o peixe"

POR MARIA LUISA BARROS
O DIA, 13 de maio de 2011

Rio - Um livro de Português distribuído pelo Ministério da Educação (MEC) está ensinando estudantes a falar errado, sem obedecer às regras de concordância verbal. O exemplar 'Por uma vida melhor', da coleção Viver e Aprender foi adotado este ano por 4.236 escolas públicas em todo o País. Nele, os 484.195 alunos do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano) do EJA (Educação de Jovens e Adultos) aprendem que podem usar expressões populares, tais como "nós pega o peixe". Segundo o MEC, o título é usado em escolas públicas fluminenses.

A informação foi revelada pelo site iG. Os autores do livro defendem o uso da "norma popular da Língua Portuguesa", no lugar da norma culta.

Heloísa Ramos, uma das escritoras, explica que as frases também podem ser ditas da seguinte forma: "Os livro ilustrado mais interessante estão emprestado". Segundo ela, basta que o artigo "os" esteja no plural para indicar mais de um referente. "A língua portuguesa admite esta construção", garante a autora, advertindo, no entanto, que dependendo da situação, o aluno  corre o risco de ser vítima de preconceito linguístico.

Em nota, o MEC afirmou que o livro atende à 'Matriz de Competências do Exame Nacional de Certificação de Jovens e Adultos'. Entre elas, a de reconhecer e valorizar a linguagem de seu grupo social e as diferentes variedades da língua portuguesa, procurando combater o preconceito linguístico. O volume da editora Global foi aprovado pelo MEC por meio do Programa Nacional do Livro Didático.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação do Rio, o exemplar não foi escolhido pelas escolas da rede. O Ministério não informou quais municípios do Rio adotaram a obra.

Efeito inverso ao propagado

Apesar de o governo propagar o uso da fala popular contra o preconceito, educadores alertam que a prática pode ter efeito inverso. "A sociedade não aceita a norma popular. O aluno que não aprende o certo será ridicularizado e vai virar motivo de chacota", alerta Alzira Batalha, professora da Faculdade de Educação da Uerj na Baixada.

De acordo com o MEC, a escola que oferece a modalidade de Educação de Jovens e Adultos deve propiciar aos alunos um ambiente acolhedor no qual suas variedades linguísticas sejam valorizadas e respeitadas: "Dessa forma, eles terão segurança para expressar a sua voz". Para a educadora, livros como esse reforçam a exclusão social. "Nenhuma empresa vai contratar um funcionário que não souber falar corretamente. Ele vai continuar sendo discriminado como tem sido até hoje", avisa Alzira.

E , agora , a pergunta que cabe:

COMO É POSSÍVEL CALAR DIANTE DISSO ?...É POR ESSAS E OUTRAS QUE VOU CONTINUAR DENUNCIANDO OS ABSURDOS...SE ME CONSIDERAREM ÁCIDO , PACIÊNCIA...

quinta-feira, 12 de maio de 2011

EM DEFESA DOS BOMBEIROS.

Hoje , o Jornal O GLOBO , na página 17 , debocha dos Bombeiros com a manchete " Os larga-vidas : postos à deriva e caos no trânsito". E mais: "Bombeiros em greve abandonam salvamento na orla e fecham ruas do Centro no horário do rush". E continua : "Os bombeiros salva-vidas , que deveriam socorrer vítimas de afogamentos nas praias , abandonaram seus postos na orla da Zona Sul ontem para protestar em frente à Assembleia Legislativa (Alerj) , na Rua Primeiro de Março. E adiciona: "Durante o fim de semana , quatro pessoas morreram em função de uma ressaca".


A manchete e o texto do jornal são tendenciosos, porque levam o leitor a acreditar que os bombeiros são irresponsáveis. Em momento algum , é dito que , há meses, esses profissionais estão tentando dialogar com seu Comando e com o Governador do Estado sem sucesso. Os Deputados Estaduais e até mesmo os vereadores que são ligados ao Governador poderiam intermediar essa conversa , mas não foi o que ocorreu. Se há culpado pela fato de haver greve , esse culpado é o Governador ou é o Comando dos Bombeiros que não se interessam em negociar com os bombeiros. Mas o Jornal , de forma maldosa , lança a culpa das mortes causadas pela ressaca e o problema causado pelo desconforto no trânsito apenas nos profissionais da Corporação , embora de forma indireta. Qual é a intenção do Jornal ? Por que a notícia não foi divulgada com isenção ?

Nos dias de chuvas intensas , quando há sinistros como desabamentos e inundações , quando há acidentes de trânsito , quando um animal está em condições adversas, ,nos acidentes de trânsito com vítimas , quando há incêndios, enfim , nas maiores desgraças , enquanto os redatores dos jornais e as autoridades estão em suas residências confortavelmente,os sinistros são enfrentados por esses mesmos bombeiros que , hoje ,eles irresponsavelmente , atacam. Tomara que , amanhã , não precisem deles !

Apesar de terem sido inicialmente constituídos com a função de combate a incêndios, as funções dos bombeiros alargaram-se para quase todas as áreas da proteção civil. Conforme o país e o corpo de bombeiros, as várias áreas de intervenção dos bombeiros são: Combate a incêndios florestais ; Combate a incêndios urbanos ; Combate a incêndios industriais ; Resgate em grande ângulo ; Emergência médica pré-hospitalar ; Salvamento aquático ; Desencarceramento em acidentes rodoviários e ferroviários ; Intervenção em incidentes elétricos; Intervenção em incidentes hidráulicos ; Intervenção em incidentes com matérias perigosas ; Intervenção em incidentes com redes de gás; Corte de Árvores em risco iminente de queda ; Captura de animais correndo ou oferecendo risco ; Resgate de corpos ou bens submersos ; Prevenção contra Incêndio e Pânico.

A Sociedade ( e a Mídia faz parte dela ) deve muito a esses valorosos profissionais. Em troca , o que eles recebem é um salário BRUTO de R$ 950,00 e essa injusta agressão dos jornalistas que deveriam defender sua causa. Com os descontos , percebem cerca de R$ 800, 00 . Será justo esse valor , levando-se em conta a sua importância social ? O movimento que incomodou os "almofadinhas da Mídia" reivindica a INCORPORAÇÃO DE GRATIFICAÇÕES , PISO SALARIAL de R$ 2 000,00 , óculos escuros e protetor solar para os que ficam horas expostos ao Sol. Segundo apuramos , no Rio se aplica o PIOR SALÁRIO DO PAÍS. Há guarda-vidas que trabalham há 12 anos e percebem R$ 1300.

Pior é o CLIMA DE TERROR e REVANCHISMO que declaram estar sofrendo , pois 36 que aderiram ao Movimento foram transferidos dos postos onde trabalhavam para outros quartéis em represália. Além disso , houve abertura de Inquérito contra os mesmos. Como dialogar com essa gente ? Na hora em que falta dinheiro para alegorias e adereços de escolas de samba, aparecem recursos em menos de 24 horas. Será justo , repetimos ? Quando uma categoria profissional não é ouvida em seus pleitos , é legítimo que ela se movimente.VIVEMOS EM UMA DEMOCRACIA. Não se pode chamar a atenção de autoridades insensíveis , sem que , INFELIZMENTE , se tomem medidas que tenham repercussão. E , para tal , por vezes , como aconteceu ontem no Centro do Rio , algumas pessoas são prejudicadas. Mas a culpa é de quem não ouve a classe e não de quem quer ser ouvido. CABERIA AO JORNAL EM QUESTÃO SE RETRATAR JUNTO AOS BOMBEIROS E COLOCAR A CULPA EM QUEM MERECE. AINDA HÁ TEMPO.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Professores fazem paralisação em 12 estados.

Professores da rede pública de vários Estados brasileiros interromperam as atividades nesta quarta-feira para reivindicar aumento de salário e melhores condições de trabalho.

Trabalhadores em educação paralisam atividades e protestam no DF

No Paraná, os 85 mil professores da rede estadual encerraram o dia letivo às 10h. Em pelo menos 28 municípios, houve adesão também da rede municipal.

Além de reivindicarem a aplicação do piso salarial nacional no Estado, os professores também defenderam melhorias nas condições de saúde dos educadores, como um novo sistema de atendimento à saúde, com foco na prevenção do estresse e de doenças relacionadas.

O sindicato dos professores do Paraná também entregou ao governador e aos prefeitos das principais cidades uma carta-manifesto reivindicando a aplicação imediata do piso nacional --hoje, no Paraná, um professor recebe R$ 1.084 por 40 horas de trabalho. Com o piso, o valor subiria para R$ 1.187. O governador se comprometeu a fazer o repasse o mais breve possível.

No Rio Grande do Sul, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação estima que cerca de 70% das escolas estaduais aderiram à paralisação. "Estamos muito satisfeitos com os resultados de hoje. Ficou provado que temas como a implantação do piso nacional e a reforma da previdência têm grande capacidade de mobilizar a categoria. O fato de as ações serem regionalizadas em nossos núcleos fortaleceu ainda mais a paralisação", avalia Rejane de Oliveira, presidente do sindicato.

No Espírito Santo, professores das redes municipais de Vitória e Serra pararam hoje. Em Vila Velha, Cariacica e Guarapari, os educadores estão em greve desde o início do mês.

Em Goiás, cerca de 20% das 1.095 escolas estaduais não tiveram aula. Em Goiânia, cerca de metade das escolas fecharam. Pela manhã, houve uma manifestação em frente ao Tribunal de Justiça, em que os professores pediram reajuste de salários. As informações são da Secretaria Estadual de Educação.

Em Tocantins, segundo a Secretaria Estadual de Educação, a paralisação ocorreu em 9 das 547 escolas da rede estadual. Cerca de 6.000 alunos ficaram sem aula. A maior adesão ocorreu na capital, Palmas, onde 7 das 26 escolas estaduais não tiveram aulas. Ainda de acordo com a secretaria, em alguns casos houve adesão de professores da rede municipal também, mas não há estimativa de quantos profissionais paralisaram as atividades.

Em Santa Catarina, 189 mil alunos da rede estadual foram atingidos pela paralisação (27% do total), segundo a Secretaria da Educação. Ainda de acordo com a secretaria, 8.402 dos 39,1 mil professores não deram aulas hoje. O sindicato da categoria, porém, afirma que a paralisação foi de 90%.

No Maranhão, onde os professores estaduais estão em greve há mais de 70 dias, foi organizada uma caminhada na região central de São Luís para marcar o dia de paralisação nacional. O sindicato dos trabalhadores da educação disse que os dias parados estão sendo descontados dos salários dos professores. Eles reivindicam a aprovação do Estatuto do Educador e a desistência da ação judicial contra o sindicato, além do pagamento do piso nacional.

NORTE E NORDESTE

Em Pernambuco, cerca de um milhão de alunos ficaram sem aulas devido à paralisação dos professores do Estado e da rede municipal de Recife, Jaboatão dos Guararapes e Olinda. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores na Educação do Estado, as atividades nas escolas voltam ao normal na quinta-feira.

No Piauí, o sindicato estima que houve paralisação em todo o Estado, com adesão de cerca de 80% dos professores estaduais.

Na Paraíba, sindicatos e o governo divergem sobre o número de escolas que suspenderam as aulas no Estado. De acordo com o governo, 70% das escolas estaduais funcionam normalmente. Já os dois principais sindicatos de professores e trabalhadores em educação afirmam precisamente o contrário: que 70% das escolas fecharam.

O Estado tem cerca de 400 mil alunos na rede pública estadual. O governo afirma não saber quanto alunos estudam nas escolas que suspenderam as aulas e foram prejudicados pela greve.

Ontem, em assembleia, os dois principais sindicatos da categoria decidiram continuar com a greve, iniciada em 2 de maio. Os grevistas exigem que seus salários sejam equiparados aos rendimentos do piso nacional de professores. Até o momento, o governo, que afirma não ter como aumentar os salários por falta de verba, propôs para os professores uma bolsa no valor de R$ 230 para equiparar temporariamente os pagamentos. A proposta, que num primeiro momento chegou a ser aceita pelos sindicatos, acabou depois sendo rejeitada. Agora, o governo afirma que não vai voltar a negociar enquanto a greve continuar.

No Rio Grande do Norte, o sindicato da categoria afirma que 100% dos professores da rede municipal do Estado interromperam as atividades hoje. Na rede estadual, 93% dos professores estão em greve desde o dia 2 de maio.

No Pará, o Sintepp (sindicato dos trabalhadores em educação pública) estima que 1.300 escolas tenham ficado sem aulas --dessas, 900 são da rede estadual. Para a Secretaria de Educação, o número foi menor: 425 escolas estaduais pararam, a maioria delas (250) na região metropolitana de Belém.

No Acre, a paralisação da rede estadual está marcada para amanhã.

E no Estado do Rio que ocupa a penúltima colocação em qualidade de Ensino entre todos os estados do Brasil ? Quando será ?...


E na Cidade do Rio , onde o Prefeito quer alterar as regras para aposentadoria dos servidores municipais para prejudicá-los . Quando será ?...




segunda-feira, 9 de maio de 2011

PARA QUE SERVEM OS GOVERNANTES DO RIO ?

Hoje , deparamo-nos com a manchete nos jornais " ZONA OESTE TERÁ ESGOTO PRIVATIZADO ". A responsabilidade pela coleta , pelo tratamento e pela ampliação das redes de tratamento de esgoto de 1,7 milhão de moradores do Rio será transferida da Cedae para a iniciativa privada. A medida abrangerá 21 bairros da Zona Oeste , localizados entre Deodoro e Santa Cruz , onde apenas 50 % do esgoto são coletados e 4 % são tratados. A Cedae continuará responsável pelo fornecimento de água na Região e as contas serão únicas. No momento do pagamento , o valor referente ao tratamento de esgoto será depositado na conta da Concessionária.


O Secretário-chefe da Casa Civil do Estado alega que a privatização trará os benefícios que o setor público não teria como alcançá-los. É uma confissão de INCOMPETÊNCIA. Ao que parece , os atuais governantes do Rio assinam declaração de incapacidade na gestão dos serviços a eles confiados quando foram eleitos. As terceirizações e privatizações proliferam nas áreas mais nevrálgicas do interesse público como EDUCAÇÃO e SAÚDE. E , agora , ocorrerá privatização na COLETA DE ESGOTO. Os resultados dessas concessões não nos animam pelo que temos visto na prática , já que não há fiscalização nem controle por parte dos governos em relação às empresas. Nessa , a população é que sofre e paga o pato. A Supervia é um belo exemplo do que falamos.

Quando as concessionárias têm prejuizos , o Governo usa o dinheiro público para socorrê-las. Realmente , é " um negócio da China " como diziam os antigos , pois os empresários não arriscam nada. Se tudo der certo , eles ganham muito ; se houver problemas , o POVO entra com o dinheiro ( impostos) para sanar a questão.

Então, para que servem os governantes se, uma vez eleitos , transferem os serviços essenciais para terceiros ? A quem os governantes servem : à população hipossuficiente nessa relação ou aos empresários ?

Além dessa saída , transferindo responsabilidade na execução dos serviços , quando alegam não ter competência gerencial ou a têm de má-fé , eles lançam mão de outros artifícios como o de criar taxas para cobrir os " rombos" ( vide taxa de iluminação pública ) ou alteram regras para benefícios de servidores públicos ( vide proposta indecorosa de reforma da aposentadoria dos servidores do Rio ). E O POVO QUER SABER : A QUEM SERVEM OS GOVERNANTES ?